Entrevista

Voltar as Entrevistas
Joaquim Nery Filho

Joaquim Nery Filho

Nascido em 11 de março,  Joaquim Nery Filho, chamado carinhosamente por todos de “Quinho” , é referência em ações vitoriosas no Carnaval da Bahia.

Formado em Geografia, além de empresário, Nery atua como professor em uma escola particular de Salvador. As duas atividades para Nery são igualmente importantes para sua realização profissional e pessoal, porque uma nunca minimizou a outra.

Tem como hobby a fotografia. Em suas viagens procura registrar momentos  e paisagens inesquecíveis. No escritório da Central do Carnaval podemos apreciar uma coletânea deste material com fotografias de um trecho do Epcot Center – Orlando, que homenageia a Itália com mascarados belíssimos e inusitados. 

O começo

Tudo começou em 1978,  quando o Bloco Camaleão foi criado por um grupo de jovens universitários do qual Nery fazia parte, cujo objetivo era tornar o Carnaval mais organizado empresarialmente. A partir daí muitos outros blocos surgiram e tornaram-se referência até os dias de hoje.

Em 2000, Nery juntamente com seus sócios criou a Central do Carnaval, a partir da idéia de união dos blocos para fortalecimento do mercado. No ano anterior, o grupo Camaleão havia realizado parceria de administração e vendas terceirizadas com o Bloco Beijo para o Carnaval. Essa parceria fez com que surgissem os primeiros “mixes” de blocos proporcionando ao folião mais opções de escolha para os dias de folia.

A Central do Carnaval veio para revolucionar mais uma vez a festa na Bahia , mostrando a organização e o profissionalismo dos grandes blocos de Salvador. O sucesso da Central proporcionou crescimento de vendas para cada um dos blocos integrantes, além de redução de custos e otimização das atividades conjuntas.

Responsabilidade social

A Central do Carnaval também atua com projetos de responsabilidade social – O Carnaval Solidário, cujo objetivo é estimular as entidades carnavalescas privadas ou não a multiplicar a ajuda.

Essa contribuição financeira é conseguida através de cortesias concedidas a convidados dos blocos de Carnaval: Camaleão, Nana Banana e Voa Voa. Toda a renda arrecadada é distribuída para instituições de Caridade. Em 2005 foram contemplados com as doações o NACPC – Núcleo de Assistência à Criança com Paralisia Cerebral e o GACC – Grupo de Apoio à Criança com Câncer.

No decorrer do ano, acontecem outras ações, como: colaboração na Campanha do MC Dia Feliz, doação de cesta básicas alimentícias para os cordeiros e atividades de entretenimento e lazer realizadas em visita às instituições, como: Creche Vô Flor, Instituto Ara ketu e Caps.

Como vantagem competitiva a Central do Carnaval, tem um conjunto de benefícios de diferenciar-se de seus concorrentes aos olhos do cliente: otimização de serviços, credibilidade com o público, segurança nas ações operacionais e qualidade.

Carnanegócio

Outra vertente importante é o CARNANEGÓCIO, pois o Carnaval ativa a economia local, gerando empregos e renda. Nery comenta que isto gravita nas atividades da indústria, comércio e serviços, gerando a renda direta para o estado devido ao grande volume de negócios que envolvem o Carnaval.

oje  existem na Bahia,  indústrias que produzem abadás durante todo o ano,  para atender demanda de  eventos realizados em todo o país.

No verão, a Central do Carnaval chega a gerar 450 empregos diretos, em função do volume de vendas e do serviço de Entrega de Abadás.

As Micaretas, carnavais fora de época, que acontecem nas principais capitais durante o ano, na opinião de Nery, funcionam como “degustação” do Carnaval baiano, provocando nos foliões de outros estados, o desejo, a curiosidade de conhecer o tradicional carnaval de Salvador.

No exterior

Pensando em projetos futuros a Central do Carnaval, que  já comprovou sua excelência na comercialização de serviços como um todo,  pretende em breve alargar as fronteiras,  enfatizando o mercado internacional e com certeza Nery estará à frente de mais um brilhante projeto.

Carismático, sempre  um pioneiro disposto a começar novos projetos, amante de desafios, motivador, mestre no mercado de entretenimento na Terra da Felicidade e mostrando sempre seu vigor e identidade,  Joaquim Nery Filho É GENTE QUE FAZ !

Entrevista concedida a Patrícia Mello em 30/08/2005

Voltar as Entrevistas